:: Parte 3::

Como Isaac estava com seus olhos e seu coração cegos, não viu que Yaakov era o filho da promessa. E como Ele não tinha maldição para Yaakov, mas sim bênçãos, D’us não permitiu Isaac enxergar a verdade e amaldiçoá-lo. E por causa do Eterno, Isaac não pode desfazer a benção dada a Yakkov, e ainda proferiu a sentença do Eterno sobre Esaú.
“A vontade do diabo era que Yaakov fosse descoberto e amaldiçoado, pois assim o Mashiach não nasceria. Mas ele foi frustrado”. Porém conseguiu fazer os cristãos acreditarem que Yaakov era um enganador, um trapaceiro e mentiroso. Aceitando assim a fama que o diabo quis dar a Yaakov. Assim como o diabo conseguiu fazer os judeus por 2000 anos acreditarem que o Mashiach era na verdade um anti-Mashiach, que perseguia Israel e declarava destruída a Lei.

Talvez (ou também) pela falta de conhecimento do hebraico os cristãos interpretaram que Yaakov quer dizer enganador pela passagem que está em
Gn 27:36 "Disse Esaú: Não se chama ele com razão Jacó, visto que já por duas vezes me enganou?"
É como dizer: Não se chama "aquele que vai e consegue o que quer, suplantando", visto que já me enganou duas vezes.
Neste texto Esaú profere uma falsa acusação contra Yaakov, pois Yaakov nunca o "enganou". Enganou sim, uma vez, a seu pai, mas a Esaú não . Yaakov foi muito claro em sua proposta.

Alguns teólogos interpretam esta atitude impulsiva como a causa da inimizade entre Jacó e seu irmão. Porém a profecia desde o começo dizia: Dois povos se dividirão. Esaú e Yaakov eram divididos desde antes de nascer. Não havia Shalom entre os dois. Não existe comunhão entre luz e trevas, entre quem ama o Eterno e quem não se importa com Ele.

Por causa do modo como a benção da primogenitura foi conquistada, Yaakov abriu uma brecha na sua vida. Precisava ser tratado nisto, para nunca mais ceder a pressões humanas, não se preocupar em fazer a vontade dos homens e nem ter medo de perder a bênção do Pai celestial.

Foi então Yaakov buscar uma esposa entre as filhas de Labão EM OBEDIÊNCIA A SEUS PAIS. Yaakov obedecia seus pais.
Ao contrário de Esaú que buscou filhas nos povos que aborreciam a D’us, somente para ferir seus pais.
Então o Eterno revela-se a Yaakov em uma visão esplêndida. E fala com ele: “E eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei tornar a esta terra; porque não te deixarei, até que haja cumprido o que te tenho falado.”
Yaakov temeu a visão e chama aquele lugar de CASA de YHWH. E em adoração, faz o voto de dar a décima parte do que tem ao Eterno, caso a Palavra de D’us se cumpra!

Yaakov chega ao oriente, na terra de Labão, vê Rachel e a escolhe por esposa. Labão aplicou uma lei de D’us sobre Yaakov. Aquela que define o período de escravidão. Por sete anos Yaakov serviu pela esposa escolhida.

Labão fez com Yaakov, o mesmo que sua mãe fez com seu pai Isaac. Enganou-lhe aproveitando-se da escuridão. Assim como Isaac não podia ver Yaakov, Yaakov não pôde ver Lia. E a tomou por esposa.

Pela manhã, Yaakov viu que foi enganado. E Labão lhe propôs mais um ciclo bíblico de escravidão por Rachel. Era D’us tratando seu pecado. Sete anos de escravidão para refletir sobre o que fez, para não mais achar que o Senhor falharia.

Yaakov em submissão a D’us andou “duas milhas”, 14 anos, sem reclamar, sem murmurar, sendo tratado pelo Eterno.

Desejando D’us prosperar Yaakov, da-lhe uma estratégia sobrenatural, para ter seu rebanho de ovelhas. E conta a Palavra que o número de ovelhas que eram de sua posse “suplantavam” o de Labão, em número e força. Além de servos, servas, jumentos e camelos.

Apesar de Labão ser injusto com Yaakov, procurando lesá-lo continuamente, ele não o amaldiçoava. Antes e submetia a ele. Assim D’us podia derramar as bênçãos que queria sobre Yaakov.

Então D’us manda Yaakov sair daquele lugar e retornar para sua terra.
Como nada na vida de Yaakov vinha de mão beijada, houve luta para sair das terras de Labão.

<< Parte 2                                                                                                         Parte 4 >>