.: Porque existe tanta resistência a Yeshua por parte dos judeus? :.

   Quem é o perseguidor implacável dos judeus a mais de 1600 anos declaradamente?

  Desde que Constantino, por razões políticas, se converteu ao   "cristianismo" em Roma (324  d.C.), foi declarada guerra contra   o povo judeu. Sendo declarada heresia contra Deus guardar a   Lei da Torah, dada a Moisés, sendo todo judeu praticante considerado assassino de Jesus e inimigo  de Deus. Apesar de Constantino ter implantado suas crenças pagãs ao deus sol dentro da igreja, e  permitindo toda sorte de adorações abomináveis a ídolos dentro da igreja. Todo aquele que fosse  contrário ao "cristianismo" deveria ser morto, pois era um traidor. Os judeus, por se recusarem a  participar de tamanha heresia, eram mortalmente perseguidos. Por milagre de Deus, os judeus  enfrentaram durante quase dois milênios a perseguição dos pais da igreja, as cruzadas, a  inquisição, a reforma protestante, os nazistas, e outros assoladores.

Não me prolongarei em escrever fatos históricos. Estão expostas aqui algumas posições e  declarações dos "pais" da igreja cristã contra os judeus. Aqui estão muitas das raízes anti-semitas,  e anti Torah, que perduram até hoje no coração de muitos filhos de Deus.

 

POSIÇÕES E DECLARAÇÕES DOS "PAIS" DA IGREJA CRISTÃ CONTRA OS JUDEUS.

Antes da reforma protestante

Eusébio:
Disse que os judeus costumavam matar as crianças dos cristãos nas cerimônias anuais.
"As escrituras judaicas são destinadas aos cristãos e não aos judeus".

   Marcion:
   
Qualquer cristão que utilizasse um símbolo judaico, um nome judaico, ou realizasse qualquer celebração judaica, seria considerado cúmplice da morte de Cristo juntamente com os judeus.

   Crisóstomo (bispo de Antioquia -escreveu oito sermões contra o povo judeu):
   "As sinagogas são zonas de meretrício e teatro, cheio de ladrões e bestas selvagens. Os judeus são culpados da morte de Cristo".
   "Não há expiação para o povo judeu. Deus sempre os odiou. Os cristãos devem odiá-los porque eles foram assassinos de Cristo e são adoradores de satanás".

   Justino Mártir:
   Acusou os judeus de iniciarem a matança de cristãos.
   "Se alguém, por fraqueza de espírito, resolver observar as instituições como foram entregues a Moisés, e das quais esperam alguma virtude, mas que julgamos terem sido indicadas em razão da dureza dos corações, juntamente com sua esperança neste Cristo, e desejarem cumprir os eternos e naturais atos de justiça e piedade, mas optam por viver com os cristãos e os fiéis conforme declarei anteriormente, não os introduzindo a serem circuncidados como eles próprios, ou a observarem o Shabat, ou a observarem qualquer outra cerimônia, sou da opinião que nos devemos reunir a eles e nos associarmos a eles em todas as coisas, como parentes e irmãos.

   Orígenes:
  
 Acusou o povo judeu, dizendo eles conspiravam para matar os cristãos.

   St Hilary de Potiers:
   
Disse que os judeus eram um povo perverso, amaldiçoado por Deus.

   St Ephraim:
   
Difamava os judeus chamando de prostíbulos as suas sinagogas.

   St Cyril:
   
Deu aos judeus a escolha de exílio, apedrejamento ou conversão.

   São Jerônimo (Tradutor da Vulgata):
  
 Disse que os judeus não são capazes de compreender as escrituras e devem ser perseguidos severamente até serem forçados a confessar a verdadeira fé.

   Sto Agostinho:
 
  "Os judeus e a nação de Israel são apenas testemunhas da verdade do cristianismo, serviram apenas para deixar o legado da fé e da verdade cristã. Agora deveriam estar em constante humilhação quanto ao triunfo da igreja sobre a sinagoga. Não há salvação para os judeus. Eles já estão perdidos de qualquer forma."
   "O judaísmo é uma corrupção e os judeus devem ser escravizados".

   Tomás de Aquino:
   
Perpetuou a perversa teoria de Sto Agostinho.

 

Na Reforma Protestante

   Lutero:
   "Os cristãos devem queimar as sinagogas e os judeus. Devem tirar os livros e os Talmudes deles, pois esses contém só mentiras e blasfêmias. Devem ameaçar de morte os rabinos que ensinem. Devem proibir os judeus de viajar. Devem obrigar os judeus a trabalhar em serviço manual e não adquirirem profissão".
   "Os judeus são arrogantes, teimosos e de coração de ferro como demônios".
   { Martin Luther, "On the Jews and Their Lies" (1543), Traduzido por Martin H. Bertram, editado por Franklin Sherman, vol.47, pp. 121-306, em Luther's Works, de Jaroslav Pelikan e Hehnut T. Lehmann ( Filadelfia,. Fortress Press e St. Louis, Concórdia Publishng House, 1962-1974). Abaixo um excerto das pp. 268-278:
   "Que faremos, nós cristãos, com este povo rejeitado e condenado, os judeus?".
...Vou dar-lhes o meu conselho sincero: primeiro, atear fogo às suas sinagogas, em honra ao nosso Senhor e à cristandade, de modo que Deus veja que somos cristãos... Aconselho que as suas casas sejam arrasadas e destruídas...Aconselho que os seus livros de orações e escritos talmúdicos lhes sejam arrebatados...Aconselho que seus rabinos sejam proibidos de ensinar, sob pena de perderem a vida e serem mutilados...Acreditamos que o nosso Senhor Jesus Cristo dizia a verdade ao falar sobre os judeus que não O aceitaram e O crucificaram: "Sois uma raça de víboras e filhos do demônio...".
   "Li e ouvi muitas histórias relativas aos judeus que estão de acordo com este juízo do Cristo. Isto é: que envenenaram poços, assassinaram, seqüestraram crianças... Ouvi dizer que um judeu mandou a outro judeu por intermédio de um cristão, um recipiente cheio de sangue, juntamente com um barril de vinho no qual depois de bebido até o fim, encontrou-se um cadáver de um judeu."

 

EXTRATO DA CONFISSÃO DE CONVERSÃO DE UM JUDEU AO CRISTIANISMO

   Eu, aqui e agora, renuncio a todo rito e observância da religião judaica, detestando todas as suas mais solenes cerimônias e dogmas, os quais outrora eu guardei e mantive. No futuro, eu não praticarei nenhum rito ou celebração relacionada com essa religião, nem qualquer costume do meu erro passado, prometendo não busca-la ou cumpri-la...[Eu] prometo nunca retornar ao vômito da superstição judaica. Nunca mais eu realizarei nenhum dos ofícios das cerimônias judaicas as quais eu fui ligado, nem nunca mais as apreciarem. [Eu] evitarei todo relacionamento com outros judeus, e manterei meu círculo de amizades entre apenas outros cristãos.
[Nós não] nos associaremos com os judeus amaldiçoados, que se mantém sem batismo...Nós não praticaremos a circuncisão carnal, ou celebraremos a páscoa, os sábados, ou outros dias de festas relacionadas com a religião judaica...Com relação a carne de porco, prometemos observar a seguinte regra: De que se devido a um antigo costume, não somos capazes de come-la, não iremos por melindre ou erro, recusar as coisas que são cozidas com ela... E se em todos os pontos tratados acima fomos achados culpados de qualquer forma... [então] aqueles entre nós que forem achados culpados, ou perecerão pelas mãos de nossos companheiros, por fogueira ou apedrejamento ou, [se nossas vidas forem poupadas], perderemos imediatamente nossa liberdade, e vocês nos entregarão juntamente com toda nossa propriedade a quem lhes convier para a escravidão perpétua...
   [Eu] renuncio a toda adoração dos hebreus, à circuncisão, todos os seus legalismos, pão na levedado, a páscoa, o sacrifício de cordeiros, as festas das semanas, os jubileus, as trombetas, a expiação, os tabernáculos, e todas as outras festas hebraicas, seus sacrifícios, orações, aspersões, purificações, expiações, jejuns, sábados, luas novas, comidas e bebidas.
   E [eu] renuncio a todo costume e instituição das leis judaicas...Em uma palavra, eu renuncio a absolutamente tudo o que é judeu...Juntamente com os antigos, eu excomungo também os rabinos chefe e os novos doutores malignos dos judeus...Se eu me desviar do caminho reto em qualquer modo e profanar a santa fé, e tentar observar a qualquer rito da seita judaica, ou se eu enganar a vocês, de qualquer forma, nos juramentos desse voto...Então que caiam todas as maldições da Lei sobre mim...Caiam sobre mim, sobre minha casa, e todos os meus filhos, todas as pragas que feriram o Egito, e para o horror de outros, que eu sofra em acréscimo, o destino de Data e Abirão, ou seja , que a terra me engula vivo, e depois de eu ter sido privado desta vida, serei ainda entregue ao fogo eterno, na companhia do diabo e seus anjos, compartilhando com os habitantes de Sodoma, e com Judas a punição do fogo; e quando eu chegar diante do tribunal do temível e glorioso juiz, nosso Senhor Jesus Cristo, possa eu ser contado naquela companhia a quem o glorioso e temível juiz, com semblante ameaçador dirá: Apartai vos de mim, malditos para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos"


   Bibliografia:
  
 Dubnow, Simon. Manual de la história Judia. Buenos Aires, Ed. S. Sigal, 4ª Ed. 1955.
   Guimarães, Marcelo Miranda. Trazendo a igreja de volta às suas raízes bíblicas e judaicas. BH, ministério Ensinando em Sião, 2ª Ed.2000.
   Stern, David H. Manifesto Judeu Messiânico. Rio de Janeiro. Comunidade Emanuel, 1989.
   Wallis, Jim. O Messias Judeu para os Judeus. São Paulo, Ed. Or Chadash.

   Pesquisa realizada por G.Carsh

   A intenção de mostrar estes documentos históricos, não é de forma alguma causar qualquer tipo de divisão no Corpo de Nosso Mashiach Yeshua; pelo contrário. Desejo que aqueles que leiam entendam que muito do que é pregado contra a Lei, os Sábados, os alimentos, as festas, as tradições, não vêm de revelação de Deus, mas de um ódio do diabo contra aquilo que veio do próprio coração de D'us. Sei bem que Lutero colaborou em muitas coisas para com o Reino. Porém ensinou loucuras contra nosso povo criado pelo próprio D'us. Agradeço a D'us, pois hoje a igreja Luterana reconhece os erros de Lutero e tem dados bons testemunhos perante D'us e perante o povo judeu e seus amantes.

parayeshua@yoddesign.com
Se você quer nos escrever e não possui outlook, ou programas de email, use o recurso abaixo



© Copyright 2006 -Todos os Direitos reservados

Follow mauropac on Twitter